0
Shares
Pinterest Google+

De onde se partiu para uma das mais importantes batalhas nacionais

Para a Batalha Real partiram, naquela altura, as forças de D. João I e de D. Nuno Álvares Pereira, tendo em vésperas da mesma ficado alojados no Castelo de Porto de Mós, outro ponto de visita obrigatória neste concelho. Imortalizado na obra de Camões, o Castelo encontra raízes ainda na época pré-histórica, com sucessivas ocupações romana, visigoda e muçulmana. Conquistado em 1148 por D. Afonso Henriques ao rei Gámir de Mérida com a ajuda do futuro alcaide-mor D. Fuas Roupinho, tornou-se um ponto estratégico na defesa de Leiria e de Coimbra, mas seria no reinado de D. Sancho I que a povoação prosperaria e que importantes obras de beneficiação seriam realizadas. Porto de Mós tornar-se-ia concelho ainda muito antes da concessão de Carta de Foral por parte de D. Dinis, que elevaria este território a vila, oferecendo-o depois à Rainha Santa Isabel, uma distinção ímpar. O castelo seria ainda palco de um importante acontecimento à escala nacional. Em 1385 ficariam ali alojadas as forças portuguesas sob comando do Mestre de Avis e de D. Nuno Álvares Pereira aquando da Batalha de Aljubarrota, com o apoio de toda a povoação e após a mesma passaria a integrar as posses do Condestável por doação do rei. Com o falecimento deste, herdariam o castelo a sua filha e o genro, primeiros duques de Bragança e em meados do século XV, o 4º Conde de Ourém, neto do rei e do Condestável realizaria ali consideráveis melhorias, transformando-o num solar renascentista. Hoje, o Castelo de Porto de Mós apresenta ainda uma planta pentagonal irregular e um estilo gótico e renascentista, com os panos de muralhas reforçados nos ângulos por cinco torres, duas delas encimadas por coruchéus piramidais verdes, a cor da Casa de Ourém. A loggia corrida ao longo do andar nobre do paço e o coroamento piramidal das duas torres que flanqueiam a entrada fazem com que este castelo represente uma das mais importantes peças de cenografia arquitectónica do século XV português. Classificada como Monumento Nacional, a fortificação acumulou influências militares, góticas e renascentistas, assumindo enorme importância também como obra de arquitectura de características singulares. Em excelente estado de conservação e muitíssimo cuidado, o Castelo de Porto de Mós encontra-se hoje bem documentado, contando com uma equipa muito profissional que recebe todos os seus visitantes.

Site: https://www.municipio-portodemos.pt/pages/1402?poi_id=366

Email: castelo@municipio-portodemos.pt

Tel. 351. 244499651

Previous post

O melhor do centro de Portugal

Next post

This is the most recent story.