Home»Mundo»Americas»New Orleans – A mistura de culturas

New Orleans – A mistura de culturas

A mistura de culturas

1
Shares
Pinterest Google+

NEW ORLEANS

A mistura de culturas

Uma cidade com raízes profundas na história americana e que emana cultura pelas suas ruas.

Da música Jazz contagiante à deliciosa comida crioula, encontrará nesta cidade uma rica variedade de atracções.

Fotos New Orleans CVB

Uma cidade fundada pelos franceses, por volta de 1718, como porto estratégico a metro e meio abaixo do nível do mar, perto da junção do rio Mississippi com o Golfo do México. A origem da cidade confinava-se à área agora chamada de FrenchQuarter.

Posteriormente, o rei francês Luís XV ofereceu o estado do Louisiana ao seu primo espanhol, Carlos III, por volta de 1762, o que deixou na cidade um cunho espanhol.

Napoleão recuperou a posse deste estado em 1801, para o vender dois anos depois aos Estados Unidos da América.

Após esta aquisição, os americanos chegaram em massa, tal como os emigrantes europeus, sobretudo provenientes da Alemanha, Irlanda e Sicília. Após a revolução do Haiti em 1804, seguiu-se a chegada de milhares de afro-caribenhos. Todos estes imigrantes contribuíram para a diversificação da população de New Orleans, enriquecendo a cultura colorida desta cidade.

Por volta de 1850, a cidade foi-se transformando numa “nova Paris”, sendo uma das cidades mais ricas dos Estados Unidos, visitada frequentemente por convidados da alta sociedade francesa, com fabulosos restaurantes e costumes sofisticados.

Para as páginas negras da história fica a escravatura, que era generalizada na região e à qual estava associada a maior concentração de milionários da América do Norte da altura, com as suas fazendas, onde se cultivava sobretudo a cana-de-açúcar e o algodão. Estas fazendas, localizadas próximo da cidade de New Orleans, ainda podem ser visitadas, havendo inúmeras histórias para contar.

Esta cidade está intimamente ligada à música. Durante 300 anos, os ritmos ecoaram pelas ruas de New Orleans. Foi aqui que nasceu o Jazz, mas pode ser aqui encontrado todo o tipo de música. Esta magia começou nos salões de baile do séc. XVIII, nas antigas casas de ópera francesa, nos ritmos tribais e nos rituais de origem africana e do caribe.

Não hesite em visitar o bairro de Tremé , onde estrelas como Buddy Bolden, Kid Ory e Louis Armstrong viveram, e onde o Jazz floresceu em casas nocturnas, salões e ruas.

No coração da cidade encontrará a Jackson Square, onde os mais talentosos artistas do Sul dos Estados Unidos enchem as ruas com arte e música. Aqui irá vislumbrar a catedral de St. Louis, que reflecte a alma ecléctica da cidade.

Para os amantes de compras, o French Market na Decatur Street será ideal, com o seu arco em tons pastel, que esconde uma grande quantidade de bancas, as quais vendem desde produtos frescos a artesanato local. Este mercado existe desde 1791.

Outra atracção interessante pode ser encontrada na St. Charles Avenue, ao desfrutar de uma viagem no eléctrico mais antigo do mundo ainda em funcionamento.  É uma espécie de museu sobre carris, feito de mogno e bronze, que desfila o seu charme pelas ruas da cidade.

Poderá também passear pela Bourbon Street ou a Frenchmen Street, onde o Jazz é o som dominante.

Outra experiência a não perder é embarcar nos famosos barcos a vapor com as rodas de pás. Poderá optar por subir o rio Mississippi, fazer um jantar romântico a bordo experimentando a cozinha local, conhecida por crioula ou cajun e ser acompanhado por música Jazz ao vivo.

Os pratos locais são um óptimo cartão-de-visita da cidade. Aproveite para degustar o típico gumbo, servido com arroz, pimentos e frutos do mar (camarão, ostras e carne de caranguejo). Tem também a opção de pedir um gumbo com salsicha e frango.

Outro prato clássico é o Jambalaya, que consiste em salsicha com vegetais, onde o toque final é o de acondicionar alguns grãos de arroz crus para absorver o molho. Pode também pedir este prato com outras variantes como a carne de jacaré.

É também nesta cidade que um evento mundialmente conhecido por Mardi Gras se realiza, sempre 46 dias depois da Páscoa, cujo nome se traduz para terça-feira gorda.

Uma celebração de uma espécie de Carnaval local com um toque de raízes francesas. É uma época onde as ruas se enchem de animação e adereços fantasiosos, que não deixam ninguém indiferente.

Uma viagem que será marcante numa das cidades com mais personalidade da América do Norte e, sem dúvida, algo a não perder.

 

 

Previous post

Namíbia - Terra surpreendente

Next post

Normandia - O encontro com a história