Home»Castelos»Holanda: Castelos, Museus e Moinhos

Holanda: Castelos, Museus e Moinhos

Castelos, Museus e Moinhos

0
Shares
Pinterest Google+

HOLANDA

Castelos, Museus e Moinhos

Quando pensamos na Holanda, imediatamente nos vem à memória uma vastidão de tulipas das mais variadas cores, enchendo os campos de uma beleza única.

Um país que nos lembra flores é necessariamente um país encantador.

De facto, os imensos campos de tulipas e os moinhos movendo-se incessantemente fazem com que a Holanda tenha uma magia própria para desfrutar de mente aberta.

Texto Isabel Brigham |  Fotos Natacha Brigham

Embarcamos então para esta viagem, que se inicia na costa norte.

Começamos o passeio com uma visita ao maior castelo dos Países Baixos, o Kasteel de Haar, situado perto da cidade de Utrecht. Está impecavelmente conservado e foi reconstruído pelo famoso arquitecto neerlandês Pierre Cuypers, no princípio do século XX, em estilo neogótico. O castanho e o vermelho realçam as suas formas e contornos.

Os jardins bem tratados, rodeados por lagos e pequenos recantos, convidam a longos passeios, de forma a absorver toda a beleza envolvente. Os longos labirintos formados por arbustos com diversas e animadas surpresas apelam à diversão de crianças e adultos.

Pode estacionar-se junto ao castelo. Há também um restaurante onde se podem saborear comidas típicas e uma loja de recordações.

Em seguida visitamos Amesterdão. Aconselha-se uma estadia mínima de dois a três dias. A escolha do alojamento é diversificada e para todos os gostos e bolsas. Os transportes são frequentes e funcionais.

Amesterdão é indescritível e tem uma personalidade muito própria. A arquitectura é deslumbrante variando entre o gótico e o renascentismo.

Deparamo-nos logo também com o romantismo dos canais e surpreendemo-nos com situações diferentes, como ver sair de suas casas moradores que vão para o barco estacionado à sua porta!

A viagem de barco pelos canais é obrigatória e na Central Station pode-se escolher o que se pretende fazer! Há circuitos para todos os gostos. A oferta é muito variada,desde percursos com refeições incluídas, animação ou simples percursos pelos canais.

As ruas planas convidam a passear de bicicleta e é o que a maioria dos holandeses fazem!

Bicicletas para uma ou mais pessoas, bicicletas familiares transportando diversas crianças ou animais,com a naturalidade de quem escolhe preservar o ambiente e fazer exercício!

É interessante ver junto às estações rodoviárias e ferroviárias os imensos parques de estacionamento com centenas e centenas de bicicletas!

Se é admirador de Van Gogh recomendo um dia para visitar o museu. É impressionante o percurso do pintor e a sua procura por retratar, de uma forma tão característica, o mundo que o rodeava. Podemos admirar um dos seus quadros mais famosos, os girassóis, tal como os extensos campos de trigo ou os variadíssimos auto-retratos que segundo consta se deveram à falta de capacidade financeira para o pintor pagar a modelos. O quadro “Comedores de batatas”, retratando os agricultores e a rudeza das suas mãos calejadas pelo árduo trabalho dos campos, impressiona pelo realismo que transmite.

Van Gogh, pouco tempo antes de morrer, ofereceu um quadro ao seu irmão Theo, na altura em que o sobrinho Vincent nasceu. O quadro retratava de forma sublime as amendoeiras em flôr. Mais tarde, Vincent viria a fundar o Museu Van Gogh, em homenagem ao seu tio.

Poderá também visitar o famoso Rijksmuseum, um imponente edifício com as mais clássicas obras neerlandesas, tendo como expoente máximo as pinturas do artista Rembrandt.

Quando se viaja é necessário fazer escolhas. Muitos museus merecem ser visitados. Imperdível é a visita à casa museu Anne Frank. O sótão e o armário onde a família se escondia transportam-nos para a sua triste e conhecida história de vida.

Para retemperar forças basta seguir o cheiro, um pouco por todo o lado, dos famosos croquetes holandeses espalhados por toda a cidade. Há para todos os gostos: de carne, camarão ou vegetarianos, mas sempre acabadinhos de fritar! Sempre acompanhados pelas tradicionais batatas fritas com cebola e os molhos de caril e maionese. Uma especialidade deliciosa.

Espalhadas pela cidade há também variadíssimas lojas de queijos, onde se podem provar e comprar os famosos queijos holandeses. O Gouda e o Edam são os mais conhecidos e há uma grande variedade de sabores, pois são adicionadas uma infinidades de especiarias, nozes e outros produtos que fazem as delicia dos apreciadores de queijos. Este produto é importante para a economia da Holanda, pois é transportado para todo o mundo.

Outra das atracções é o Bloemenmarkt, o único mercado das flores flutuante do mundo. Se a Holanda nos faz, desde logo, lembrar flores é ao mercado que as pessoas as vão comprar para embelezar as suas casas e jardins. São as tulipas a compra mais popular. Também se podem adquirir bolbos e sementes para plantar.

A visita ao bairro vermelho satisfaz a curiosidade e levanta muitas interrogações. Mulheres maduras e jovens em montras iluminadas vestidas de forma sensual ou quase nuas, aparentando naturalidade…

Também os coffeeshops são uma realidade, com a qual a maioria das pessoas convive com uma aparente naturalidade! A Cannabis é aqui bastante consumida, fazendo deslocar muitos curiosos a este local.

Situada a 10 km no sentido norte de Amesterdão, vale a pena visitar uma aldeia turística e representativa da Holanda, Zaanse Schans.

Com as suas casinhas em madeira e os moinhos de vento em actividade, nela revivem as mais diversas oficinas, recreadas por artesãos que dão vida aos mais diversos ofícios: construção dos famosos tamancos holandeses, fundição de estanho, trabalho com couro ou fabrico dos famosos queijos.

Podem também visitar-se os moinhos por dentro e perceber como as farinhas e diversas especiarias são moídas como antigamente.

Para terminar a viagem nada como desfrutar de uma bela refeição, começando e terminando com os bons e saborosos queijos e tendo como prato principal o apetitoso bife com molho holandês, acompanhado de legumes e batatas fritas… memórias que ficam entranhadas nos sentidos e nos fazem, sem dúvida nenhuma, desejar voltar! Tot ziens, que é como quem diz, até breve Holanda.

Previous post

Ferreira do Alentejo

Next post

ICE Hotel